Publicidade
Publicidade

Veja a verdade sobre os juros do Brasil e como que funcionam com o tempo.

Certamente que você já ouviu falar sobre a taxa de juros do Brasil. Os noticiários sempre destacam o fato do Brasil ter a maior taxa de juros do mundo e de como que essas taxas estão bem altas atualmente.

Mas será que sempre foi assim? Será que com o passar do tempo a taxa de juros real do Brasil sempre foi tão alta?

Publicidade

Reunimos nesta matéria diversas informações sobre as taxas de juros no Brasil e como que elas funcionam, de forma a trazer um panorama geral e oferecer a você informações concretas dos juros em nosso país.

Publicidade

Acompanhe o texto até o final e saiba mais sobre o que não te contaram sobre o juros real do Brasil.

 Taxa de juros no Brasil

Para começar, é importante lembrar que a taxa de juros no Brasil sempre foi uma taxa bem alta. Atualmente, o Brasil enfrenta a maior taxa de juros real do mundo, o que representa uma situação preocupante que demanda urgente atenção e ação.

Publicidade

No entanto, ao analisarmos os dados do Banco Central do Brasil nos últimos 20 anos, é possível verificar que o país sempre teve taxas de juros reais bem elevadas.

Se continuarmos a análise, quando houve a virada do milênio, a taxa de juros real ultrapassou a marca de 15%, indicando uma realidade preocupante para a economia.

Publicidade

Foi no ano de  2020 que, durante a crise, a taxa de juros real atingiu -1%. Contudo, essa baixa não se manteve, e a taxa voltou a subir devido ao aumento da SELIC, que foi implementado como medida para controlar a inflação.

Porém, para que se tenha um melhor controle da economia, maiores investimentos e permitir um crescimento real do país, é preciso que se tenha uma redução significativa na taxa de juros real, pois seu nível atual pode acarretar sérios problemas para o país.

Ou seja, por mais que o país tenha uma enorme taxa de juros real e que, historicamente sempre foi alta, é necessário que seja um controle dessa taxa para que o país possa ter um maior investimento e melhor controle financeiro.

Mas você sabe exatamente o que é a taxa de juros real e como que ela é calculada?

 Como calcular a taxa real de juros

Para que se possa calcular a taxa real de juros, é necessário entender este conceito de maneira bem clara.

A taxa de juros real é um conceito financeiro fundamental que representa a rentabilidade efetiva de um investimento após descontar a inflação. Em outras palavras, é a taxa nominal ajustada pela taxa de inflação, permitindo determinar o ganho real obtido com uma operação financeira.

Para calcular o juro real de um investimento, é necessário descontar o impacto da inflação sobre a taxa de juros nominal.

O juro real representa a verdadeira rentabilidade que o investidor obteve após considerar o efeito da inflação sobre o poder de compra do dinheiro.

A fórmula matemática utilizada para calcular a taxa de juros real é a seguinte:

 (1 + juro real) = (1 + taxa de juros nominal) / (1 + inflação)

 Onde:

         Juro real é a taxa de retorno efetiva após o desconto da inflação.

  •         Taxa de juros nominal é a taxa de juros anunciada pelo investimento.
  •         Inflação é a taxa de aumento geral dos preços durante o período.

Para facilitar a compreensão desta fórmula, confira o exemplo abaixo:

         Suponha que você investiu R$ 10.000 em um fundo de investimento com uma taxa de juros nominal de 15% ao ano. Ao mesmo tempo, a inflação acumulada durante o período foi de 6%.

  •         Primeiro, calculamos a taxa de juros real com a fórmula que apresentamos acima:

 (1 + juro real) = (1 + 0,15) / (1 + 0,06)

(1 + juro real) = 1,15 / 1,06

juro real = 1,08491 – 1

juro real = 0,08491

         Agora, para obter o valor em porcentagem, multiplicamos o resultado por 100:

 juro real = 0,08491 * 100

juro real = 8,49%

 Portanto, o juro real do investimento foi de aproximadamente 8,49%, o que significa que você aumentou seu poder de compra em 8,49% após considerar o impacto da inflação.

 Para que você compreenda ainda mais sobre os juros reais, veja outro exemplo com diferentes variáveis:

         Suponha que você investiu R$ 15.000 em um título de renda fixa com uma taxa de juros nominal de 12% ao ano. Durante o período, a inflação foi de 4,5%.

  •         Calculamos a taxa de juros real:

 (1 + juro real) = (1 + 0,12) / (1 + 0,045)

(1 + juro real) = 1,12 / 1,045

juro real = 1,07009 – 1

juro real = 0,07009

         Multiplicamos por 100 para ter a porcentagem:

 

juro real = 0,07009 * 100

juro real = 7,009%

 Portanto, a taxa de juros real do investimento foi de cerca de 7,009%, o que representa o ganho real após o desconto da inflação.

 Ao calcular os juros reais, é possível avaliar com mais precisão o verdadeiro crescimento do patrimônio do investidor, levando em consideração o impacto da inflação sobre o poder de compra do dinheiro ao longo do período de investimento.

Essa taxa assume um papel essencial para os investidores, pois é o indicador que revela se determinado ativo ou investimento foi capaz de superar a inflação e, assim, realmente gerar ganhos reais.

É crucial analisar cuidadosamente a taxa de juros real na hora de escolher onde alocar o dinheiro, pois só assim será possível assegurar que os ganhos obtidos sejam efetivamente significativos e não corroídos pelo aumento dos preços no mercado.

Compreender a taxa de juros real é fundamental para tomar decisões financeiras mais assertivas e garantir que os investimentos alcancem seus objetivos de preservação e crescimento do poder de compra ao longo do tempo.

Sendo assim, seja você investidor ou uma pessoa que queira conhecer mais sobre as taxas de juros do país, é preciso ter conhecimento de como é o funcionamento da taxa de juros real e como é que você deve calcular, de forma a saber como que esta taxa vai funcionar para lhe beneficiar em seus investimentos.

Gostou do conteúdo? Permaneça no blog e tenha mais informações financeiras para seu dia a dia.